O TAMANHO DO BURACO: Um texto sobre política e tempo.


google imagens

Não se escolhe o lugar onde nasce, nascer em determinado país pode ser uma grande sorte ou um grande azar, independente de outros fatores. Nascer no Brasil tende a ser um grande azar comparando-se à situação de países mais privilegiados e evoluídos em aspectos políticos e sociais.

Desde sempre convivemos com a praga da corrupção, seja a corrupção no dia-dia, "o jeitinho", "a indicação de fulano", "o favorecimento de beltrano" ou a corrupção política com dinheiro público, que não deve ser vista como menos relevante em relação as demais, porém tem o agravante de causar males a um número maior de pessoas.

O debate político e o noticiário do dia-dia deveria ser ocupado por temas ligados a cultura, a educação, ao esporte, a filosofia e a saúde pública, mas em 99% do tempo discute-se sobre o absurdo, sobre o que deveria ser exceção ou irrelevante... discutimos crise política e econômica, causadas por interesses menores, imediatos, egoístas, mesquinhos, enfim, problemas característicos de grande atraso filosófico e comportamental.

Descarregar toda culpa em político ou em partido político A ou B é mascarar a profundidade do problema, no caso do Brasil a corrupção é histórica e epidêmica, só poderá ser vencida com grande mudança cultural promovida pela educação, ainda estamos longe disso.

Se as atuais manifestações servirem ao menos para despertar a consciência sobre a profundidade do problema, pode ser algo positivo. Porém, além da questão moral e ética fundamentais para revisão do sistema político, é necessário também repensar a estrutura econômica em que se apoia todo sistema, o chamado mercado nunca será capaz de promover o sonhado (?) equilíbrio sustentável, enquanto aceitarmos os abismos e incertezas do capitalismo estaremos sujeitos a sofrer com práticas de corrupção na atmosfera do "salve-se quem puder" promovida pelo sistema.

Vida é tempo, a maior riqueza possível é o tempo bem gasto, bem aproveitado... e infelizmente nesse sentido somos muito pobres, nosso tempo é gasto em assuntos medíocres, em problemas que demonstram nosso atraso intelectual e moral, gasto na luta diária pela simples sobrevivência em uma lógica de mercado que, para maioria, não tem lógica nenhuma.

O buraco é mais embaixo. 

AC - 13/03/2016

Fill out my online form.