Galeria de Arte ÓCIO?



O certo, o errado; a ida e a volta; tudo. Consumo, um beijo, uma música, um conceito; o velho, o cigarro, o novo, a tv; crianças, vontade, desejo, velocidade, história e asfalto, história de uma vida e de outra; um bêbado, um lixeiro e tudo, e tudo é dinheiro, tudo é tempo e dinheiro, tudo que é tempo é dinheiro. Do “Caos a Ordem”, da arte a ordem, e do ócio a busca da arte, a busca de fazer arte, sentir arte, arquitetura, filosofia, história, poesia...vida!

Hoje não se sente mais o vento no rosto; não se vê mais o por do sol, e muito pior; não se vê mais o homem, e o que dizer então da arte?! O projeto “Galeria do Ócio” vem trazer um novo modo de ver a cidade, de ver o homem- a se mesmo, e assim um novo modo de ver a arte, pois a arte é vista por cada um de uma forma diferente, de uma forma particular que depende não só de sua cultura, mas também de como o indivíduo se sente no momento, na cidade, na sua vida íntima, em fim; a mesma arte pode ser vista de várias maneiras diferentes pela mesma pessoa.

Assim, buscamos mostrar com esse projeto um novo modo de ver o ócio. Buscamos esse momento de inatividade, preguiça e repouso como um momento criativo “ o Ócio Criativo”; um instante de organização mental que organiza e estimula a criação, o saber, a imaginação.

Dessa forma buscamos um projeto que deixe bem em questão a contradição, colocando a interrogativa como elemento questionador e estimulador. Num mundo capitalista onde se vê a velocidade e o consumo ditarem para o homem um ritmo de vida mecânico e pouco raciocinado, trazemos a ideia de ócio como um elemento até mesmo bem produtivo ao passo que a inatividade física, o repouso e a frase talvez mais criminosa de nossos dias- “o não fazer nada”, funcionem como as “máquinas” organizadoras das idéias, das criações futuras, de um modo de viver futuro e diferente, onde um homem jovem sentado numa quarta-feira a tarde num banco de praça não seja considerado um vagabundo, “um atoa”, mas sim alguém inteligente que parou um momento para se organizar, para se sentir, para sentir os outros, a vida, sentir o ócio como algo revitalizador, criativo e produtivo!

O projeto traz vários elementos estimuladores dessa filosofia e trabalha no subsolo a ideia de “fuga do caos”, “outra dimensão”, trabalhando elementos que estimulam essa ligação entre esses “dois mundos” - o de cima e o de baixo e deixa em contato artistas e visitantes ao propor espaços não só para exposições, mas para a produção da arte e do ócio; um espaço fluido que também trabalha a culinária, o bar e a internet como elementos fundamentais ao “Ócio Criativo”.

Corte e planta, estudo para terreno em área central.

Equipe de projeto;
Alex Couri
Marcelo Portes
Christiane Fernandes

Fill out my online form.