Arquitetura é importante?

Como fechamento de viagem de estudos e trabalho à Belo Horizonte fomos tomar cerveja com um arquiteto local e que como arquiteto pensante possui opinião formada a respeito de diversos assuntos, eu estava acompanhado de amigos da faculdade. A conversa transcorria leve e normal em um bar muito agradável, até que o nome de Oscar Niemeyer veio à mesa. Logo vi que ia sobrar para mim, um “filhote de Niemeyer” como ele mesmo disse. Em meio a tantos pontos de vista, resolvi jogar a célebre frase: “Arquitetura não é importante, importante é a vida”. Foi o suficiente para o fim do debate.

No entanto, ao contrário do que possa parecer, ao dizer isto Niemeyer certamente não estava diminuindo nossa profissão, estava apenas situando-a numa escala de valores e condicionando a outros aspectos da vida. Claro que um sujeito com a vida equilibrada vai querer/ poder admirar arquitetura, seja através de seu próprio espaço particular ou do ponto de vista artístico/ monumental e quanto mais sensível for, maior o grau de absorção da arquitetura. É bom salientar que não se trata de "status-quo", nem da "arquitetura shopping center" de luzes e brilho, falo da "arquitetura arte" em extinção, ou da arquitetura que valoriza e estimula relações, que traz conforto e bem-estar espacial.

Mas como pensar em arquitetura quando o que falta é o arroz com feijão? Quando um “pasta” o dia todo enquanto outro vive da massa explorada? Numa escala maior, o que sonhamos é um mundo menos desigual, que tenha estas necessidades básicas, fonte de tanto mal-estar, eliminadas. Neste mundo não haveria apenas ilhas de arquitetura e as cidades talvez não tivessem tantos outdoors e construções ruins, as pessoas parariam para notar o espaço ao redor sem medo de um assalto ou de serem atropeladas pelo fluxo dos desesperados que, talvez, estivessem agora sossegados para admirar algo.

Independente de preferências estéticas, profissionais da arquitetura deviam ser unidos como cidadãos conscientes das imensas desigualdades e esquecer um pouco as ilhas de fantasia e elucubrações intelectuais para defender uma situação mais justa e equilibrada. A própria sobrevivência da boa arquitetura depende disso.

Por mais inocente e quixotesco que possa parecer; “Arquitetura não é tão importante, importante é a vida”.

Alex Couri
abril de 2006

Fill out my online form.